• Estação Romana da Quinta da Abicada

    Estação Romana da Quinta da Abicada

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

  • Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

    Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

  • Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

    Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

  • Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

    Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

  • Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

    Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

  • Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

    Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

  • Torreões do Castelo de Loulé

    Torreões do Castelo de Loulé

  • Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

    Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

  • Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

    Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

  • Castelo de Paderne

    Castelo de Paderne

  • Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

    Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

  • Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

    Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

  • Fortaleza e Promontório de Sagres

    Fortaleza e Promontório de Sagres

  • Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

    Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

Monumentos do Algarve Bons Momentos Promontório de Sagres Prémio Regional Maria Veleda Património Cultural Imaterial Portal Cultura Portugal

Em Destaque

Fado Navegado

“Fado Navegado”

“Fado Navegado” tem encontro marcado no Castelo de Paderne, no dia 22 de setembro, pelas 17h30. Esta será uma viagem pelo Mundo do Fado, reinterpretando este estilo musical, através de instrumentos de sopro, como forma de evasão e constante busca de novas sonoridades.

Este é um projeto dinamizado pela Sociedade Musical e Recreio Popular de Paderne e conta com o apoio da Câmara Municipal de Albufeira /Museu Municipal de Albufeira.

Fado Navegado integra a programação do DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos – uma iniciativa da Direção Regional de Cultura do Algarve.

Contactos:

Direção Regional de Cultura do Algarve

geral@cultalg.gov.pt

Telef. 289 896070

Descobrimentos e Migrações“Descobrimentos, Migrações e Viagens” - Ciclo de Cinema e Debates

“Descobrimentos, Migrações e Viagens” – Ciclo de Cinema e Debates, terá início na Fortaleza de Sagres no dia 21 de setembro, pelas 21 horas, com a exibição do filme “Alba de América”, de Juan de Orduña.

No ano em que se comemoram os 500 anos da primeira viagem de circum-navegação, por Fernão de Magalhães e Juan Sebastián Elcano, propõe-se uma reflexão sobre as diferentes visões históricas das viagens de exploração marítima da Época Moderna e sobre o papel do cinema na visão que temos da nossa história.

O filme “Alba de América” (1951) foi considerado na altura, a primeira superprodução espanhola e realizado como resposta a um filme americano sobre a descoberta da América, onde os espanhóis se sentiram insultados. A sessão será apresentada por Paulo Moura, escritor, repórter e professor, e Suso Iglesias, jornalista, que foi director da TVG e mais tarde da Telecinco.

“Descobrimentos, Migrações e Viagens” é um projeto promovido pelo Cineclube de Faro que tem ainda outras duas sessões de cinema agendadas, na Fortaleza de Sagres:

11 de outubro | “Deltas, Back to Shores”, de Charlie Petersmann (inédito em Portugal);

9 de novembro | “Kon TiKi – A Viagem Impossível”, de Joachim Rønning e Espen Sandberg.

Este é um projeto que integra a programação do DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos – uma iniciativa da Direção Regional de Cultura do Algarve.

Contactos:

Direção Regional de Cultura do Algarve

geral@cultalg.gov.pt

Telef. 289 896070

Fortaleza de Sagres

Fortaleza.sagres@cultalg.gov.pt

Telef. 282 620140

erminda-nossa-senhora-guadalupeErmida de Nossa Senhora de Guadalupe: Experiência global e multi-sensorial num templo rural

A Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe constitui um ponto marcante no território na viagem entre Lagos e Sagres e integra-se numa paisagem ondulante de suaves colinas onde afloram os arenitos, o designado grés de Silves, ou “pedra farinheira”, como na região de Vila do Bispo é conhecida.

Reconhecido como um dos mais antigos testemunhos do gótico na região algarvia e um importante elemento patrimonial de particular relevância histórica, este templo constitui nos dias de hoje um importante lugar de memória para as comunidades locais.

O “Projeto de Acessibilidade Física, Informativa e Sensorial”, recentemente aprovado pelo Turismo de Portugal, no âmbito de uma candidatura da Direção Regional de Cultura do Algarve à Linha de Apoio ao Turismo Acessível do “Valorizar – Programa de Apoio à Valorização e Qualificação do Destino”, pretende munir o edifício da ermida de condições de acessibilidade física, informativa e sensorial, de forma compatível e coerente com a dimensão sagrada deste espaço, com as crescentes necessidades devido à afluência de públicos e com as dinâmicas especificas de funcionamento deste monumento nacional.

(+ texto completo da participação da DRCAlg no suplemento do Postal Cultura Sul)

 

Rede de teatro e CineteatrosRede de Teatros e Cineteatros Portugueses (RTCP)

Foi publicada no dia 2 de setembro a Lei n.º 81/2019 que cria a Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses (RTCP), sendo igualmente estabelecido o programa de apoio à programação dos teatros e cineteatros que a integram.

A RTCP visa a descentralização de recursos, o planeamento, a mediação, a qualificação e a cooperação entre os teatros e cineteatros existentes no País, bem como a promoção da qualificação dos recursos humanos a eles afetos.

A RTCP é composta pelos teatros e cineteatros existentes no território nacional, nomeadamente municipais, que pretendam aderir voluntariamente e sejam credenciados.

Esta lei aplica-se aos teatros e cineteatros que correspondam a instituições de caráter permanente, dotadas de uma estrutura organizacional com condições para a realização regular de espetáculos de natureza artística e que garanta uma programação que fomente a democratização do acesso à cultura, a cooperação institucional entre os diferentes níveis de administração, a participação na correção de assimetrias, a coesão territorial e o desenvolvimento das populações.

Esta lei entra em vigor no dia 1 de janeiro de 2020.

in DGARTES 

A EUROPA COA Europa começa aquiMECA AQUI !

Marca do Património Europeu

A Fortaleza de Sagres vai acolher a exposição “A Europa começa Aqui! - Marca do Património Europeu” no próximo dia 1 de setembro, pelas 17 horas.

A Marca do Património Europeu é uma iniciativa do Parlamento Europeu e do Conselho da União Europeia que tem como principal objetivo reforçar o sentimento de pertença à União Europeia por parte dos seus cidadãos, em especial dos jovens, com base nos valores e elementos comuns da história e do património cultural, valorizar a diversidade nacional e regional e incrementar o diálogo intercultural.

A Marca do Património Europeu distingue lugares patrimoniais, sítios, monumentos, paisagens culturais e documentos que comemoram, simbolizam a integração europeia, os ideais, os valores e a história da União Europeia, tendo já sido distinguidos 38 sítios com esta marca, um dos quais o Promontório de Sagres.

Finisterra emblemática e evocativa de um período marcado pelas viagens de exploração marítima e pela expansão da civilização europeia no seu caminho para o projeto global que veio a definir o mundo moderno, o Promontório de Sagres representa um lugar de vanguarda da nossa herança histórica e é um símbolo de integração europeia e de um caminho partilhado de liberdade, de intercâmbio cultural e de democracia.

Para além do Promontório de Sagres, Portugal tem atualmente outros 2 sítios distinguidos como Marca do Património Europeu, designadamente, a Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, uma das primeiras na Europa a organizar o seu acervo em catálogos temáticos e a permitir o acesso a livros proibidos, e a Carta de Lei da Abolição da Pena de Morte (1867), que coloca Portugal como um dos primeiros países europeus a inscrever, no seu sistema legal, uma lei de abolição da pena de morte para crimes civis.

No ato de inauguração haverá lugar a um beberete para os convidados, com o patrocínio dos vinhos pela Quinta do Barranco Longo.

A exposição poderá ser visitada todos os dias, de 1 de setembro até 10 de novembro, com o seguinte horário: em setembro das 9h30 às 20h00 e em outubro e novembro das 9h30 às 17h30.

Venha descobrir este e outros lugares que foram distinguidos com a Marca do Património Europeu.

Ribal de ArrifanaCultura estabelece protocolo para requalificar Ribat da Arrifana

A área governativa da Cultura, o Município de Aljezur, a Universidade Nova de Lisboa e o Aga Khan Trust for Culture assinam no dia 10 de julho um protocolo de parceria estratégica para investigar, preservar e divulgar o sítio arqueológico Ribat da Arrifana, em Aljezur.

Classificado como Monumento Nacional, o Ribat da Arrifana é considerado uma das mais importantes descobertas arqueológicas do século XXI.

O protocolo que será assinado já na próxima quarta-feira, às 18h30, no Centro Ismaelita de Lisboa, prevê a criação de um grupo de trabalho técnico, que irá definir um plano de ação plurianual para a criação e gestão de um centro interpretativo do Ribat da Arrifana.

A parceria estratégica entre a área governativa da Cultura - através da Direção Geral do Património Cultural e da Direção Regional de Cultura do Algarve-, a Universidade Nova de Lisboa - através da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas e do Instituto de Arqueologia e Paleociências - e o Aga Khan Trust for Culture tem como objetivos garantir a proteção legal do sítio arqueológico, preservar o contexto paisagístico onde se insere, conservar o espólio arqueológico existente no local e promover a investigação académica.

O Ribat da Arrifana é referenciado como convento de monges guerreiros muçulmanos e começou a ser edificado em meados de 1130 da era cristã por iniciativa de Ibn Qasi, personagem histórica natural de Silves, líder da oposição aos Almorávidas e temporariamente aliado do primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques.

Tendo em conta o valor histórico e arqueológico do Ribat da Arrifana, o acordo que será assinado contribui para a valorização inequívoca deste sítio e a sua fruição por um cada vez maior número de cidadãos.

A Senhora Diretora Regional, Professora Doutora Adriana Freire Nogueira, será uma das signatárias em representação do Ministério da Cultura.

terrenos plantioGuia de Sensibilização para a Salvaguarda de Património Arqueológico em Operações Agrícolas

A DGPC disponibiliza a partir do mês de julho, uma Brochura e um Guia de sensibilização para a salvaguarda de património arqueológico em operações agrícolas. Estes documentos procuram auxiliar os agricultores nos procedimentos de salvaguarda patrimonial a adotar aquando da submissão de um projeto.

Os documentos agora divulgados foram elaborados pelo grupo de trabalho de salvaguarda de património arqueológico em projetos agrícolas e florestais, composto por elementos da DGPC e das Direções Regionais de Cultura do Norte, do Centro, do Alentejo e do Algarve.

Ministra da Cultura e Ministro da EducaçãoPlano Nacional das Artes - Projeto Cultural de Escola 

Plano Nacional das Artes propõe a criação de um Projeto Cultural de Escola e um índice para medir impacto cultural das organizações

Um Projeto Cultural de Escola, um Índice de Impacto Cultural das Organizações ou a criação de uma Academia de cursos e formação para educadores e professores, são algumas das medidas propostas na estratégia do Plano Nacional das Artes (PNA).

Apresentado na manhã do dia 18 de junho, num evento em que participaram a Ministra da Cultura e o Ministro da Educação, o documento foi elaborado pela estrutura de missão do PNA, composta pelo comissário Paulo Pires do Vale e os subcomissários Sara Brighenti e Nuno Pólvora. Vai servir de base às atividades a desenvolver entre 2019 e 2024.

A estratégia do PNA está dividida em 3 eixos de intervenção: “Política Cultural”, “Capacitação” e “Educação e Acesso”.

Na área da Política Cultural, destaca-se a criação de um Índice de Impacto Cultural das Organizações, instrumento de medição que será desenvolvido em parceria com o Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do ISCTE-IUL. À semelhança dos Índices de Impacte Ambiental, vai parametrizar e quantificar o impacto cultural das organizações (desde municípios a empresas privadas), promovendo e dando visibilidade ao contributo das artes e do património na qualidade de vida das comunidades.

O Plano propõe valorizar projetos com as comunidades, apoiando práticas artísticas a desenvolver com escolas, comunidades específicas ou excluídas, aproximando a arte e o património dos cidadãos, em particular das crianças e jovens.

No eixo Capacitação, será criada a Escola de Porto Santo na Região Autónoma da Madeira, um think thank sobre políticas internacionais e nacionais nas áreas da cultura e educação. Esta escola, concretizada em parceria com a Secretaria Regional da Educação da Madeira, a Direção Regional da Administração Pública do Porto Santo, a Câmara Municipal de Porto Santo e a Associação Porta33, terá também um programa de residências para artistas e investigadores.

O PNA inclui ainda apoios à investigação (Bolsas) e a publicação de linhas editoriais em parceria com a Imprensa Nacional Casa da Moeda. Ao nível da formação, o projeto Academia PNA prevê cursos para educadores, professores, mediadores culturais e artistas.

Na área dedicada à Educação e Acesso, de notar o Projeto Cultural de Escola, com a criação de um cargo de coordenador em cada agrupamento escolar ou estabelecimento de ensino, responsável por desenhar um programa cultural adaptado ao contexto, em parceria com as autarquias, as estruturas artísticas e a comunidade educativa. O programa será estruturado tendo em conta a diversidade sociocultural, patrimonial e artística do território de cada agrupamento.

Com o Projeto Artista Residente, os agrupamentos e escolas interessados podem receber um artista nas suas instalações. Durante o ano letivo, além de ter um ateliê na escola, o artista terá a responsabilidade de apoiar a comunidade educativa, introduzindo mais processos e práticas artísticas.

O PNA pretende robustecer as artes nas escolas como ferramenta para as várias disciplinas, propondo recursos pedagógicos que aproveitam as expressões artísticas para trabalhar conteúdos de Cidadania e Desenvolvimento. Esses recursos serão disponibilizados a professores e alunos no Portal do PNA, uma plataforma online que também fará o mapeamento da oferta cultural nas áreas da Arte, Educação e Comunidade.

Para divulgar os melhores projetos, o PNA vai realizar, já em 2020, o primeiro Festival – Bienal, dedicado a atividades, exposições e espetáculos sobre estas temáticas.

Além de ações previstas em contexto escolar, o plano contempla medidas que estimulam projetos culturais e artísticos com componentes formativas e intergeracionais, que contrariam a exclusão e o isolamento das populações e que envolvem os cidadãos seniores na fruição e criação artística.

O Plano Nacional das Artes é uma iniciativa das áreas governativas da Cultura e da Educação e será desenvolvido em parceria com a administração local, entidades privadas e a sociedade civil, tendo como missão dar um lugar central às artes e ao património na formação ao longo da vida.

O Plano Nacional de Leitura (PNL2027), a Rede de Bibliotecas Escolares, o Plano Nacional de Cinema, o Programa de Educação Estética e Artística, a Rede Portuguesa de Museus e o Arquivo Nacional do Som irão trabalhar em conjunto com o PNA, no sentido de articular e potenciar a ação destes programas.

A estratégia do PNA 2019-2024 pode ser consultada aqui

Adriana Freire NogueiraDiretora Regional de Cultura do Algarve, Professora Doutora Adriana Freire Nogueira, dá entrevista ao Algarve Informativo

 “O DiVaM tem vindo a consolidar-se ao longo dos anos e a dar uma vida aos monumentos, que é importante que exista, para além de prolongar-se até dezembro. Deste modo, as pessoas fazem uma visita aos monumentos e, ao mesmo tempo, acompanham todas estas atividades culturais que têm um cariz bastante variado”, refere Adriana Freire Nogueira.

Toda a entrevista aqui

Adriana Freire NogueiraAdriana Freire Nogueira, Diretora Regional de Cultura do Algarve, deu a sua primeira entrevista formal 

"Criar um plano para aproximar os jovens dos museus e dos monumentos algarvios é um dos (muitos) projetos que Adriana Freire Nogueira, nova diretora regional de Cultura, pretende implementar.

«Há a ideia de que os jovens não são, por sua iniciativa, frequentadores dos monumentos, dos museus, dos palácios. Vão visitar com os professores e as suas escolas, mas não há um plano nessas escolas para fomentar a ligação ao património, como há, por exemplo, em relação ao cinema e à leitura», disse Adriana Nogueira ao Sul Informação, na sua primeira entrevista formal desde que assumiu o novo cargo, a 15 de Dezembro."

Toda a entrevista aqui

 

DiVaM 2019DiVaM cultiva o “processo patrimonial” com o mote A VIAGEM

A Direção Regional de Cultura do Algarve vem informar que se encontram abertas as candidaturas para a programação DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos – para o ano de 2019, de acordo com o seguinte tema: “A VIAGEM”, até ao dia 22 de fevereiro.

Em 2019, assinala-se os 500 anos da primeira viagem de circum-navegação planetária, de Fernão de Magalhães, navegador que planeou e comandou a expedição marítima que permitiu demonstrar definitivamente a esfericidade da terra.

Com o tema da grande VIAGEM, que este ano dá mote ao programa DiVaM, pretende-se promover a demanda de novos caminhos, tangíveis ou imaginários, numa busca constante de evasão, de reinterpretação, que nos permitam descobrir novos lugares, novas utopias, encontros ou reencontros, com o outro ou connosco próprios.

O programa DiVaM pretende contribuir para destacar a importância das comunidades locais na valorização do património cultural, indo ao encontro dos princípios da “Convenção de Faro”, pois tenta promover o património cultural como factor de aproximação, de diálogo, de coesão social e de uma cidadania cada vez mais inclusiva.

A “Convenção de Faro”, assinada em 2005, na então Capital Nacional da Cultura, apresenta-nos uma visão mais “holística” de património, combinando património material e imaterial, mas também os valores, significados, usos e utilizações desse mesmo património pela sociedade. O Património passa a ser visto enquanto processo; um processo contínuo, de criação, de construção, de utilização e modificação do património; um processo que envolve as comunidades, em que os seus valores, aspirações e necessidades devem ser considerados, para celebrar a diversidade e a pluralidade de diferentes visões e perspetivas. Este “processo patrimonial” centra a sua abordagem nas pessoas que constroem, utilizam e celebram um património comum.

Tendo “A Viagem” como tema central do DiVaM 2019 e apelando à inclusão das comunidades no processo de construção de novos projetos culturais, convidam-se todas as associações culturais da região algarvia, à apresentação de candidaturas para a programação do DiVaM 2019.

Mais se informa que a verba a disponibilizar, para o apoio ao programa DiVaM 2019, apresenta um tecto máximo de 55 mil euros e que serão integrados cerca de 40 atividades culturais, que serão organizadas (a título indicativo) da seguinte forma:

Castelo de Aljezur: 2 atividades

Fortaleza de Sagres: 11 atividades

Ermida de Nª Sra de Guadalupe: 11 atividades

Monumentos Megalíticos de Alcalar: 2 atividades

Castelo de Paderne: 2 atividades

Castelo de Loulé: 1 atividade

Ruínas Romanas de Milreu: 11 atividades

Para mais informações consulte os documentos em anexo:

- Normas regulamentares

- Formulário de candidatura

 

Fortaleza Acessibilidades e área de acesso à Fortaleza de Sagres vão ser melhoradas

O “Projeto de Intervenção de Acessibilidades e Informação no Promontório de Sagres”, submetido pela Direção Regional de Cultura do Algarve à Linha de Apoio Turismo Acessível do Valorizar - Programa de Apoio à Valorização e Qualificação do Destino, do Turismo de Portugal, foi aprovado com um valor de investimento elegível no montante de 138.060,00€, financiado a 90% pelo Turismo de Portugal.

As ações a desenvolver vão melhorar consideravelmente a visita e potencialidades da Fortaleza de Sagres para todos os visitantes, nomeadamente aqueles com mobilidade reduzida e deficiência visual, no caso das acessibilidades e da disponibilização de áudio guias, bem como para os visitantes em geral com a colocação de sinalética em vários idiomas, complementar à existente. A colocação de pictogramas nos diferentes locais de visita permitirá também a sua identificação, numa linguagem universal.

Está prevista uma intervenção em três zonas distintas - no acesso imediato ao Túnel da Fortaleza de Sagres, no interior do Túnel e Torreão Central, e na Praça de Armas, que tem como objetivo, além da requalificação do acesso ao monumento, a criação de circuitos que possibilitem levar o visitante com dificuldades de locomoção ao maior número de locais possível.

A sinalética a implementar em vários idiomas é pertinente para identificação dos percursos e das várias valências para os visitantes em geral. Serão igualmente instalados pictogramas de interpretação universal.

O projeto prevê ainda a disponibilização de áudio guias com conteúdos para os principais pontos de interesse do monumento de forma a que o visitante com deficiência visual tenha uma perceção global do mesmo.

As intervenções propostas têm em consideração o conceito do Desenho Universal (Universal Design), com a conceção de produtos e ambientes para utilização por todos, na maior abrangência possível.

Prevê-se que o projeto esteja concluído nos primeiros meses de 2019.

O Património cultural na Europa – Mapa interactivo

 

Saiba mais sobre o Ano Europeu do Património Cultural (2018) em http://anoeuropeu.patrimoniocultural.gov.pt/

Route

UMAYYAD Route

MELHORIA DA COESÃO TERRITORIAL MEDITERRÂNICA ATRAVÉS DA CONFIGURAÇÃO DE UM ITINERÁRIO TURÍSTICO-CULTURAL.