• Estação Romana da Quinta da Abicada

    Estação Romana da Quinta da Abicada

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

  • Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

    Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

  • Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

    Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

  • Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

    Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

  • Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

    Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

  • Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

    Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

  • Torreões do Castelo de Loulé

    Torreões do Castelo de Loulé

  • Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

    Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

  • Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

    Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

  • Castelo de Paderne

    Castelo de Paderne

  • Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

    Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

  • Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

    Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

  • Fortaleza e Promontório de Sagres

    Fortaleza e Promontório de Sagres

  • Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

    Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

Página Inicial Monumentos do Algarve Bons Momentos Promontório de Sagres Prémio Regional Maria Veleda

Em Destaque

Convite

"Café com Letras" renovado aborda temas atuais

As conversas "Café com Letras" promovidas pela Direção Regional de Cultural do Algarve, pela Biblioteca da Universidade do Algarve e realizadas na FNAC de Faro regressam renovadas para mais um ciclo de seis meses, marcando encontro para uma sexta-feira em cada mês, onde serão abordados temas diversos da cultura e atualidade.

Este novo ciclo tem início no próximo dia 20 de janeiro de 2017 (sexta-feira), às 21h30, como uma abordagem científica e académica ao património religioso e arte sacra da região do Algarve. Com o título "Santa Ana de Tavira: estudo radiológico e a história do culto", esta sessão propõe uma noite à conversa com o médico radiologista Jorge Justo Pereira, (RADIS) e o historiador Luís Filipe Oliveira (UAlg).

Apesar de darmos início a mais um ciclo 2017 com um encontro noturno, nos meses seguintes serão retomados para as 18:30h, uma sexta-feira de cada mês, na FNAC de Faro, com diversificados temas para vários tipos de público com oradores interessantes, irreverentes e da comunidade em geral.

Amor para o mês de fevereiro, “Literatura de Viagens” no mês de março, abril com “Literatura e Cidadania”, “Literatura e Gastronomia” para o mês de maio e a fechar este semestre, para o mês de junho “Literatura e a Infância”.

Futuramente serão divulgados os oradores que participarão nestas conversas de “Café com Letras”, estando certos que vos despertará o interesse em participar neste encontros intimistas em que todos têm um lugar de intervenção.

Esperamos por vós.

DiVaM 2016– “O espírito do Lugar” - Balanço ilustrado

No início deste novo ano de 2017, importa reflectir sobre o impacto causado pelo DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos - programa cultural implementado desde 2014, pela Direção Regional de Cultura do Algarve.

Este programa de dinamização cultural, criado com o objectivo de potenciar as vivências nos monumentos do Algarve, tem conseguido afirmar a sua presença no panorama cultural da região, e é notório o reconhecimento, por parte dos agentes culturais da região e do público participante, da existência de uma nova dinâmica enriquecedora e produtora de novas experiências culturais na região algarvia.

Em 2016, o DiVaM apresentou-se com uma imagem renovada, com uma nova identidade visual, mais jovem, dinâmica e contemporânea e uma programação cultural estruturada em ciclos temáticos, chegando a várias eras de saber e linguagens artísticas.

DiVaM é um programa feito por pessoas e para as pessoas. Importa agora mais do que uma avaliação quantitativa (porque os números não dizem tudo), dar a conhecer o que aconteceu durante este último ano. E porque como alguém disse “uma imagem vale mais do que mil palavras” aqui vão muitas e muitas imagens das actividades, das pessoas e dos sorrisos que fizeram parte deste programa DiVaM.

A Direção Regional de Cultura do Algarve vem desta forma agradecer a todos os envolvidos, sejam municípios algarvios, associações culturais, e todos os que de uma forma ou outra estiveram envolvidos neste projecto cultural, que conta já com 3 anos de existência.

balanço

cartaz

CONTRIBUIR PARA A CULTURA
0,5% DO IRS PODE SER DESTINADO A ENTIDADES CULTURAIS

Foi hoje publicada em Diário da República a Portaria n.º 22/2017, que permite aos contribuintes entregar 0,5% do IRS à Cultura. As entidades culturais que pretendam beneficiar desta medida devem inscrever-se até 31 de janeiro.

A partir deste ano, qualquer cidadão poderá consignar 0,5% do seu IRS a entidades culturais que estejam inscritas para o efeito. Com esta medida, os contribuintes podem definir que parte dos seus impostos já liquidados será encaminhada para a instituição da sua preferência, sem qualquer pagamento adicional.

No momento da entrega da declaração anual de rendimentos de 2016, basta apenas selecionar a opção e o código da respetiva entidade no espaço respetivo, à semelhança do que já acontece com instituições religiosas e de solidariedade social.

Esta medida é absolutamente gratuita para os contribuintes e, para além de se poder tornar num relevante mecanismo de apoio financeiro para as entidades que dela venham a beneficiar, pretende estimular e otimizar o envolvimento e a proximidade dos cidadãos com a Cultura e com os seus agentes, amadores ou profissionais.

ENTIDADES BENEFICIÁRIAS
São elegíveis todas as entidades que têm estatuto de utilidade pública e que desenvolvem predominantemente atividades de natureza cultural.
Todas as entidades culturais que cumpram estes dois requisitos e que pretendam beneficiar desta nova medida devem inscrever-se no Ministério da Cultura, solicitando a atribuição do benefício e juntando cópia dos respetivos estatutos e do relatório de atividades referente ao ano anterior.

Em 2017 o prazo de inscrição para as entidades termina dia 31 de janeiro.

As inscrições devem ser realizadas através de e-mail: cultura.irs@gepac.gov.pt<mailto:cultura.irs@gepac.gov.pt>.

Para mais informações contacte o Ministério da Cultura/GEPAC - 213 614 500 | 213 614 567

A lista de entidades elegíveis será divulgada até ao final de março.

Logo - DiVaM

Candidaturas para a Programação do DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos -  para o ano de 2017

A Direção Regional de Cultura do Algarve vem informar que se encontram abertas as candidaturas para a Programação do DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos -  para o ano de 2017, de acordo com o seguinte tema:

“Lugares de Globalização”

 

Para mais informações consulte o documento  em anexo – Normas regulamentares  

Formulário de Candidatura

 

Fotografias Monumentos

2016, mais um ano de crescimento de visitantes nos monumentos da região

Os Monumentos afectos à Direção Regional de Cultura do Algarve, com controle de entradas - Fortaleza de Sagres, Ermida de Nª Sra de Guadalupe, Monumentos Megalíticos de Alcalar e Ruínas Romanas de Milreu – registaram em 2016 um aumento de 5,1%  no número total de visitantes, mantendo a tendência de crescimento.

Registaram-se cerca de 370 mil visitantes nestes espaços, verificando-se, relativamente ao ano de 2015, um aumento de 17.956 visitantes.

A Fortaleza de Sagres tem aumentado consecutivamente o número de visitantes, tendo este ano registado o terceiro melhor dos últimos 20 anos, desde que o monumento abriu ao público em 1997, o que se traduziu num aumento de 14.102 visitantes, uma variação positiva de 4,39% relativamente ao ano anterior, ano em que já registava mais de 320 mil visitantes.

As Ruínas Romanas de Milreu foram o monumento que registou a maior subida percentual em 2016, com um aumento de visitantes na ordem dos 21,89%.

A Direção Regional de Cultura do Algarve considera que o programa DiVaM - Dinamização e Valorização dos Monumentos do Algarve, implementado e iniciado em 2014 tem contribuído de forma importante para o renovar do interesse das comunidades pelo seu património, o que se traduziu também numa maior afluência no número dos residentes da região a estes espaços.

Congratulamo-nos também que os turistas, que este ano visitaram a região na sua oferta de Sol e Mar também tenham procurado a oferta cultural da região, deixando-nos o desafio de continuar a desenvolver e a promover uma maior dinamização e valorização destes espaços para este ano.

A Direção Regional de Cultura do Algarve aproveita a oportunidade para agradecer a dedicação e empenho de todos os que têm contribuído para estes resultados e para o melhor acolhimento dos visitantes nos monumentos que lhe estão afectos.

Entrevista à RUA FM da Diretora Regional de Cultura do Algarve, Professora Doutora Alexandra Gonçalves.

Balanço do DiVaM 2016 e Candidaturas 2017

Logo GEPAC

NOTA DE IMPRENSA

PORTUGAL COMO DESTINO PREFERENCIAL PARA FILMAGENS INTERNACIONAIS

Decreto-lei de Incentivo à Produção Cinematográfica em Portugal foi hoje aprovado em Conselho de Ministros. 

O Ministério da Cultura tem por objetivo implementar uma estratégia de incentivo e de estímulo ao Cinema em Portugal que contribua para o crescimento e valorização do setor, no país e internacionalmente.

O decreto-lei hoje aprovado em Conselho de Ministros pretende promover a “marca” Portugal como um destino, artístico e economicamente mais atrativo, para empresas cinematográficas, através da captação de mais produções estrangeiras para o território nacional.

Considerando o Cinema um ativo nacional e sendo Portugal um país com características naturais excecionais em termos cinematográficos, o Governo aposta agora nesta medida que irá, simultaneamente, atrair mais produções estrangeiras e gerar impacto direto e indireto no crescimento da economia nacional, através da indústria cinematográfica, do turismo e de outras fontes e investimento no desenvolvimento local.

Face à redução de produções estrangeiras registadas nos últimos anos, esta medida pretende ser um passo importante para reverter esta situação e para reposicionar Portugal no mercado global de produções de Cinema.

O decreto-lei apresenta mais-valias para as produtoras em termos de um crédito fiscal que se traduz na dedução, em sede de IRC, do valor correspondente a 20% do montante das despesas elegíveis com a produção de obras cinematográficas em território nacional. Esta percentagem pode ser ainda majorada em 25%, caso as despesas sejam realizadas em territórios do interior e prevejam remunerações para atores e técnicos portadores de deficiência e até 25% no caso de obras com versão original em língua portuguesa e de obras com especial relevância cultural ou cuja produção tenha um impacto muito significativo na cinematografia nacional.

As categorias elegíveis são obras cinematográficas de iniciativa estrangeira realizadas com produtores nacionais ou com produtor executivo nacional, obras em coprodução internacional e também obras de produção nacional, com despesas elegíveis superiores a 1M€ por obra. Os beneficiários são empresas cinematográficas registradas no Instituto de Cinema e Audiovisual e com a sua situação fiscal regularizada.

São consideradas despesas elegíveis, gastos de produção relativos a bens e serviços fornecidos em Portugal, por empresas e trabalhadores independentes, nomeadamente salários, honorários, pessoal artístico e técnico, e quaisquer outras remunerações tributáveis em Portugal.

Os limites máximos do incentivo são 4M€ por obra e o teto máximo de crédito fiscal a atribuir anualmente é de 7M€ em 2017, 10M€ em 2018 e de 12M€ a partir de 2019.

O decreto-lei e respetivo regulamento entram em vigor no dia seguinte à sua publicação.

A ACTA - A Companhia de Teatro do Algarve - que apoiou toda a parte da produção do espectáculo que aconteceu no dia 11 de dezembro no Teatro Lethes, da entrega do Prémio Maria Veleda ao Prof José Louro, teve a gentileza de nos enviar o video que realizou.

Para quem não pode estar presente, poderá visualizar, por aqui, parte do mesmo.

Cerimónia de entrega do prémio “Maria Veleda” a José Silva Louro, no Teatro Lethes em Faro

Dia 11 de dezembro no Teatro Lethes, entrega do Prémio Maria Veleda ao Prof. José Louro numa cerimónia de afetos onde muitos quiseram marcar presença.

A pedido da Direção Regional de Cultura do Algarve, Algarve Film Commission produziu o video "Apontamentos de uma vida" dedicado ao homenageado.

Cartaz IV Encontro Internacional de Arte e ComunidadeMEXE IV ENCONTRO INTERNACIONAL DE ARTE E COMUNIDADE // ART AND COMMUNITY FESTIVA

O MEXE_Encontro Internacional de Arte e Comunidade tem vindo a afirmar-se ao longo das suas três edições (2011, 2013 e 2015) como um dos espaços, nacionais e internacionais, incontornáveis de cruzamento e aprofundamento no contexto das práticas artísticas comunitárias.

Nas edições anteriores o MEXE contou com mais de 1000 participantes de 22 países e mais de 15.000 espectadores em 99 ações que ocuparam 30 espaços distintos da cidade do Porto.

O MEXE organiza-se com base em quatro pilares:

Apresentação - Espetáculos | Instalações | Performances

Pensamento - Encontro Internacional de Reflexão sobre Práticas Artísticas Comunitárias - EIRPAC

Formação - Oficinas

Documentação - Mostra de Documentários 

Nesta quarta edição o MEXE tem como grande tema “Cidade - Corpo Coletivo”. Que cidade nos inspirou no passado? Que cidade se “esgotou”? Que formas toma a cidade? Que cidade procuramos? Como construímos cidade? Como se organiza e funciona esta cidade? A cidade como plataforma de exercício da cidadania, como arena central da existência humana. A cidade nos seus múltiplos sentidos, numa visão larga, contemplando as dimensões humana e física. A cidade como potência de múltiplas possibilidades de células de organização social, muito para além do administrativo e funcional, do rural e do urbano, muito para além da tendência para etiquetar. espartilhar e apartar para se viver. A cidade à escala dos cidadãos, mais centrada no humano. A cidade como lugar de corpos em ação que se cruzam e participam na inscrição urgente do nosso tempo.

A cidade onde se procuram e encontram continuamente novos contornos para os conceitos de: Corpo Coletivo; Utopia; Participação; Diálogo Periferia-Centro e Cruzamento.

Consulte aqui o Regulamento e Ficha de Inscrição

Cerimónia Sagres, Marca do Património Europeu e Lugar de Globalização

Descerramento da placa MPE

No passado dia 28 de outubro, a Direção Regional de Cultura do Algarve promoveu na Fortaleza de Sagres, a cerimónia Sagres, Marca do Património Europeu e Lugar de Globalização.

O Promontório de Sagres foi distinguido pela União Europeia com a Marca do Património Europeu, como um dos lugares que tiveram um papel relevante na construção da Europa, associado à figura do Infante D. Henrique e aos Descobrimentos Portugueses.

No decorrer da cerimónia foi lançado o livro “Henrique, o Precursor da Globalização”, apresentado pelo seu autor, o historiador João Paulo Oliveira e Costa. A obra, editada pela Direção Regional de Cultura do Algarve e disponível em quatro línguas (português, espanhol, inglês e alemão) propõe-nos a descoberta de facetas menos conhecidas da personalidade do Infante.

Foi também ocasião para a apresentação do novo sítio da internet http://promontoriodesagres.pt, a cargo de Ana Neves, da empresa Imagetic que desenvolveu a componente tecnológica do projeto: uma plataforma digital integrada composta pelo website (já disponível nas versões em inglês e espanhol) e uma aplicação mobile e respetiva ativação com conteúdos georeferenciados, com notificações automáticas informativas sobre diversos pontos de interesse na visita à Fortaleza de Sagres. A aplicação poderá ser descarregada muito em breve, de forma gratuita, nas lojas Google e Apple.

Decorreu ainda a estreia mundial do filme informativo e promocional “À descoberta do Promontório de Sagres”, da produtora B’lizzard com consultoria de Pedro Gaspar & Cia. Pretendendo cativar o público mais jovem para o património e para o extremo Barlavento algarvio, este filme é visualizável no site do Promontório, dispondo de versões legendadas em inglês e espanhol.

A cerimónia terminou com o descerramento da placa Marca do Património Europeu.

 Os materiais agora disponibilizadas ao público (livro, site e filme) foram financiados por fundos comunitários, através do PO Algarve21, e pelo Turismo de Portugal.

ESCLARECIMENTO: "Trabalhos arqueológicos na Cidade Romana da Balsa"

Em face das informações que têm sido difundidas na comunicação social sobre este assunto, a Direção Regional de Cultura do Algarve vem informar, exclusivamente no espírito da sua missão, a protecção do Património Cultural, e não se pronunciando sobre questões ambientais ou outras, da responsabilidade das demais entidades envolvidas no ordenamento e gestão territorial desta zona.

As ruínas da antiga cidade romana de Balsa, descobertas na segunda metade do século XIX, ocupam uma vasta área situada junto à localidade de Luz de Tavira, em terrenos privados, maioritariamente na Quinta da Torre d'Aires. Os terrenos desta quinta correspondem a uma exploração agrícola e foram intensiva, sistemática e (alegadamente) deliberadamente terraplanados e subsolados ao longo de dezenas de anos, sobretudo na segunda metade do século XX, pelos anteriores proprietários, arrasando muitos dos vestígios arqueológicos ali remanescentes. Sem que a continuação do uso agrícola do solo, nomeadamente com o cultivo de vinha (especialmente gravoso para a conservação dos vestígios arqueológicos) tenha sido, até 2015, de algum modo restringida pelas entidades responsáveis da administração central ou local e sem reações negativas por parte dos proprietários vizinhos.

Continuar a ler

 Assinatura do Protocolo de Colaboração para Valorização, Restauro e Conservação da Torre Albarrã do Castelo de Paderne Castelo de Paderne

O Castelo de Paderne está classificado com o grau de Imóvel de Interesse Público, pelo Decreto N.º 516/71 de 22-11, e, beneficia de uma Zona Especial de Protecção, nos termos da Portaria n.º 978/99, Diário da República (2.ªsérie). A sua classificação como um bem de valor cultural nacional atendeu a que corresponde ao paradigma de um hisn - uma pequena fortificação rural hispano--muçulmana do período almóada (2ª metade do século XII e primeiras décadas do século XIII)-  em cujas muralhas foi utilizado um único e já perdido processo construtivo, a taipa militar e que  a estrutura chegou, até nós, mantendo a técnica construtiva e o desenho que lhe deram os seus fundadores, no século XII.

Os vestígios arqueológicos, no interior do castelo, correspondem ao urbanismo islâmico da fundação, às posteriores ocupações medieval e moderna, e, à ruína de uma capela que teria a actual configuração, em inícios do séc. XVIII.

No âmbito regional, pelas suas características estruturais e pela qualidade ambiental e paisagística da sua envolvente, o castelo de Paderne impõe-se como um notável valor cultural, que ganha um reforçado sentido devido à sua plena compatibilidade com o uso turístico, associado ao facto de se situar no concelho de Albufeira, município que acolhe uma elevada percentagem do movimento turístico da região algarvia.

Subentende-se a conveniência de valorizar este bem cultural, de significado histórico-cultural impar na região. Para isso é necessário a continuação de obras de conservação e restauro dos módulos de taipa almóada, agora na Torre Albarrã utilizando, como em anterior intervenção piloto, os materiais e os processos construtivos compatíveis com a tipologia construtiva deste edifício histórico. O custo total da intervenção está previsto com um valor de oitenta e sete mil quatrocentos e oitenta e oito euros e cinquenta e dois cêntimos, a que acrescerá o IVA à taxa legal.

A Direção Regional de Cultura, que dispõe, com autoria do Arq. Manuel López Vicente, de um projecto de conservação e restauro, para a Torre Albarrã, desde 2010, não conseguiu até à data por questões de orçamentais, satisfazer aquele objetivo, apesar de  o ter mantido entre as suas prioridades.

De acordo com os dois protocolos assinados, dia 28 de julho, nos Paços do Concelho de Albufeira, a Direção Regional de Cultura do Algarve compromete-se a candidatar a obra ao CRESCE 2020,  a Câmara Municipal de Albufeira, em financiar a compartida nacional em 30 000 Euros  e a Fundação Milénio BCP em conceder  um mecenato no valor de 30  000 Euros.

Regista-se com satisfação esta parceria inovadora entre as três entidades, em favor da valorização do património algarvio,  de que devemos garantir a continuidade às gerações futuras.

Entrevista da Drª Alexandra Gonçalves, Diretora Regional da Cultura do Algarve, ao Sul Informação e à Rádio Universidade do Algarve (RUA)

< previous12